IMEN - Instituto de Medicina Nuclear

Busca no site

Informações: 0800 643 7035

Agendamento: 3216 6900

Alameda dos Buritis, nº 600, Centro - Goiânia - Goiás

Mapa da Localização

Fale Conosco

CINTILOGRAFIA DO MIOCARDIO OU DA PERFUSÃO CARDIACA -ESTRESSE/REPOUSO

/

 

CINTILOGRAFIA DA PERFUSAO CARDIACA

A cintilografia de perfusão miocárdica repouso/estresse tornou-se um dos procedimentos mais realizados nas clínicas de Medicina Nuclear.

Este exame permite a identificação de áreas isquêmicas, infartos, visualização da motilidade das paredes e medição da fração de ejeção do ventrículo esquerdo, tendo como suas principais indicações a investigação, acompanhamento e avaliação de resposta terapêutica em doença isquêmica do coração, principalmente naqueles casos em que o teste ergométrico foi inconclusivo ou inefetivo.

A ventriculografia radioisotópica tem grande utilidade na identificação precoce de cardiotoxicidade por quimioterápicos, na avaliação e controle de aneurismas ventriculares, derrame pericárdico e valvulopatias, além de informar a fração de ejeção global e segmentar.

A cintilografia miocárdica com pirofosfato permite identificação de IAM naqueles pacientes nos quais as enzimas ou outros métodos diagnósticos são inconclusivos.


Como é realizado o exame?
O exame é realizado em duas etapas: ESFORÇO e REPOUSO
• ESFORÇO: o paciente caminha na esteira ou recebe uma medicação, conforme orientação médica, e após recebe a injeção do radiofármaco; é necessário aguardar alguns minutos antes de entrar na sala de exames e realizar as imagens para que o radiofármaco chegue ao coração.
• REPOUSO: o paciente recebe a injeção do radiofármaco e deve, então, aguardar para entrar na sala de exames e realizar as imagens.

Qual deve ser o preparo?
Para realizar o ESFORÇO:
• Suspender por 24horas antes do exame: café, café com leite, chá preto, chá mate, chimarrão, chocolate e derivados, refrigerantes, bebidas alcoólicas e qualquer alimentação ou medicamento que contenha cafeína em sua composição.
• Evitar fumar por 24h antes do exame.
• Trazer anotada a medicação em uso e exames anteriores referentes ao coração.
• Usar ou trazer roupa adequada para realizar o exercício: bermuda ou abrigo, tênis ou calçado com solado de borracha e toalha.
• Evitar fazer exercício antes do exame.
• Fazer refeição leve 2horas antes do exame – não vir em jejum.

Para realizar o REPOUSO:
Não há preparo prévio.

Observações:
• Trazer anotado a medicação em uso e exames relacionados que você já tenha realizado (teste ergométrico, exames de sangue, colesterol, triglicerídeos, raio-x de tórax, cateterismo, eletrocardiograma, etc.).
• Cada uma das etapas tem duração aproximada de 4horas.
• Poderá ocorrer a necessidade de repetir a aquisição das imagens sob aspectos técnicos diferentes, conforme orientação médica.

O NÃO CUMPRIMENTO DO PREPARO PODERÁ IMPLICAR NA SUSPENSÃO DO EXAME

ATENÇÃO: Na impossibilidade de comparecer no dia marcado, solicitamos a gentileza de avisar com antecedência de 48horas.

Estamos à sua disposição para esclarecer qualquer dúvida.

------------------------------------------------

-----------------------------------------------

TEXTO PARA O CARDIOLOGISTA

Indicações
• O diagnóstico de doença arterial coronariana suspeita ou conhecida é a indicação mais comum, podendo ser realizado em esforço (ou com estresse farmacológico) e em repouso.
– Permite avaliar:
· Presença e gravidade da lesão isquêmica
· Localização (território coronariano)
· Extensão (número de territórios vasculares comprometidos)
• Determinação da importância funcional da lesão anatômica detectada pela angiografia.
– Avalia a presença dos vasos colaterais na proteção do miocárdio que não pode ser bem determinada pela angiografia. Pode ser usado o sestamibi- ou o tetrofosmin- em esforço, estresse farmacológico e repouso.
• Avaliação da viabilidade miocárdica.
– Padrão ouro: FDG-.
– O melhor radioisótopo disponível é o tálio-201 com imagens após esforço-redistribuição-reinjeção ou em repouso-redistribuição.
· Isquemia versus fibrose (freqüentemente secundária a infarto). Estenoses coronarianas de alto grau podem, na ausência de infarto, causar hipoperfusão miocárdica regional em repouso e que melhora na redistribuição com tálio-201.
· Estimar a melhora na função ventricular esquerda após a revascularização miocárdica.
• Avaliação do prognóstico.
– São utilizados o tálio-201, o sestamibi- ou o tetrofosmin- em esforço e repouso, porém não podem diferenciar infarto recente ou antigo (ver pirofosfato-).
· Após IAM
· Pré-operatória para identificação do risco para eventos coronarianos.
• Monitorização após tratamento. Utiliza-se o sestamibi- ou o tetrofosmin-.
– Revascularização coronariana em pacientes com sintomas recorrentes.
– Terapia medicamentosa para insuficiência cardíaca congestiva ou angina.
• Avaliação da dor torácica aguda.
– Cintilografia com sestamibi-99mTc em repouso na vigência da dor. Alto valor preditivo negativo (risco de evento cardíaco - IAM ou morte - menor que 1% ao ano). Na emergência, evita internações desnecessárias.
• Diferenciar isquemia e miocardiopatia idiopática em paciente com insuficiência cardíaca congestiva. Utiliza-se o sestamibi- ou tetrofosmin-.


Endereço: Alameda dos Buritis, nº 600, Centro. Goiânia - Goiás

Desenvolvido por WLIB Soluções para Internet